sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vista antiga do Porto

Esta imagem (clicar para ver em ponto maior) é uma das mais antigas fotografias panorâmicas da cidade do Porto. É muitíssimo interessante por mostrar muita coisa que desapareceu... É uma imagem do Porto da Era APB (Antes de Pinto Bessa), pois foi durante a sua estada à frente do município que este sofreu alterações profundas e irreversíveis, que mudaram a face do que hoje conhecemos como Centro Histórico do Porto, modernizando-o à luz do pensamento (e claro das necessidades!) do século XIX.
(Abaixo da imagem, a legenda)



A) Ruínas do Mosteiro de S. Domingos: demolidos em 1865, por trás dela, fora da vista, a medieval rua das Congostas;
B) A praia de Miragaia: ou o que resta dela pois o terreno está já a ser compactado de forma a formar a sapata onde irá assentar a rua Nova da Alfândega;
C) Não se nota bem, mas ali é a Porta Nobre, com o seu invulgar escudo manuelino com 11 castelos que hoje se encontra no Museu Nacional Soares dos Reis (por cima ficava uma esquadra de polícia);
D) Fortim da Porta Nobre: ultimamente utilizado como depósito de armas e presídio de soldados, está hoje soterrado diretamente por baixo da entrada do parque de estacionamento da alfândega;
E) Postigo dos Banhos: uma entrada medieval na cidade, onde a muralha formava um pequeno resguardo para embarcações de menor calado, o seu diminuto areal na foto está já nitidamente a ser usado como estaleiro de obra. Não sendo arqueólogo, creio que, a julgar pela posição, foi este pedaço que apareceu à luz do dia quando efetuaram uma sondagem arqueológica, aquando do projeto Docas à portuense... felizmente não foi avante;
F) Postigo da Lingueta (ou do Pereira): por ali se escapuliu, no tempo dos Filipes, Francisco de Lucena e seu filho que o acompanhava só assim evitando o linchamento pelo povo que avidamente o queriam justiçar;
G) Desta zona para trás (isto é, em direção ao Cais da Estiva) é a zona que ainda existe atualmente, conhecido como muro dos Bacalhoeiros;
H) Capela da Confraria de St. Elói, demolida em 1872, encontrava-se adossada à Igreja de S. Francisco;
I) Casa medieval que foi ignóbil e desnecessariamente demolida, que se situava grosso modo onde hoje se encontra o edifício revestido a azulejo vermelho, ao início da Rua da Reboleira;
J) Escadas do caminho novo, a preto a muralha medieval (ainda hoje existente);
L) Ponte D. Maria II, mais conhecida por ponte Pênsil;
M) Igreja da Lapa (ainda com torres baixas?);
N) Casas que ainda existem, numa zona que foi completamente arrasada, o Bairro dos Banhos. Estas casas, localizadas numa viela nesta época, são as que hoje incorporam o bloco entra as Escadas do Recanto e o Forno Velho.

E tudo o mais que não se vê, mas está lá! Está lá toda a zona que em 1875 seria ocupada pela rua Mouzinho de Silveira, a rua da Biquinha, o rio da Vila, a belíssima praça de S. Roque... Muito mais, por ventura se poderia acrescentar. O leitor que o pretenda fazer ou até quem sabe apontar alguma falha que tenha cometido, não se iniba de o fazer nos comentários!